Evento organizado pela equipe do CQAI reúne profissionais de todo o país em BH

Share on Facebook

A equipe do CQAI esteve à frente da organização do 12º Simpósio Mineiro de Enfermagem e Farmácia em Oncologia, que aconteceu nos dias 17 e 18 de novembro, em BH. O evento reuniu na capital mineira especialistas de todo o país, que tiveram a oportunidade de discutir as principais novidades e os impactos das inovações no tratamento oncológico.

A abertura oficial do evento aconteceu na quinta-feira pela manhã. Durante a cerimônia de abertura, o diretor administrativo do CQAI e presidente do Centro de Estudos e Pesquisas Oncológicas de Minas Gerais (Ceomg), o oncologista Wagner Brant Moreira destacou a importância de eventos como o simpósio, que colaboram para a atualização dos profissionais envolvidos no tratamento do câncer. De acordo com ele, a atuação em oncologia envolve quatro coisas principais, que devem ser praticadas por todos que desejam trabalhar na especialidade: “qualificação profissional, atuação ética, atenção humanística e principalmente: foco no paciente”. Na mesma oportunidade, a coordenadora de enfermagem do evento, Ocarlinda Lopes Aguiar, lembrou que “a oncologia vive um momento diferente, em que precisamos agregar conhecimento ao cuidado e o simpósio vem para fazer essa diferença”. Cláudia Lara Fonseca, coordenadora de farmácia do 12º Simpósio, disse que “o interesse de todos na qualificação profissional é a motivação para que o evento aconteça todos os anos”.

EQUIPE MULTIDISCIPLINAR EM ONCOLOGIA: O QUE MUDOU?

A conferência de abertura foi proferida pelo oncologista do CQAI, Dr. Eduardo Carvalho Brandão. Ele fez um panorama da evolução da especialidade e mostrou como a atuação de outros profissionais aconteceu. Segundo ele, há cerca de 40 anos, a equipe era formada apenas por médico, secretária e uma auxiliar de enfermagem. A manipulação dos medicamentos era feita de maneira simples e informal, sem uso de equipamentos de proteção individual ou coletiva, como máscaras, óculos, luvas, capelas de fluxo laminar, entre outros. Com o tempo, os profissionais começaram a apresentar alguns efeitos colaterais, como alopecia, neutropenia, o que motivou a mudança de postura, exigindo a profissionalização e regulamentação da área, com leis, resoluções e a entrada de profissionais com formação superior.

De acordo com o Dr. Brandão, “uma nova era começava na oncologia”. Além do aumento da equipe, a parte científica também apresentou evolução, com o aparecimento de estudos demonstrando a capacidade curativa da quimioterapia para diversos tipos de câncer, aparecimento de novos medicamentos com maior eficácia, efeitos colaterais mais aceitáveis e a entrada de novas tecnologias. Outra mudança importante, citada pelo palestrante, foi a entrada de outros profissionais na equipe multidisciplinar, como psicólogos, nutricionistas, assistentes sociais, equipe de apoio como informática, administrativa, consultores, enfim, uma gama de diversos profissionais, para que o processo aconteça. “Com certeza vivemos uma nova era da oncologia, com diversos avanços: científicos, de pessoal e nos processos. No entanto, temos que estar sempre atentos para que nada nos distancie do nosso foco principal e objetivo da nossa existência como profissionais: atender bem o paciente” – disse.

PROGRAMAÇÃO DIVERSIFICADA

Nos dois dias do evento, os participantes tiveram a oportunidade de assistir a diversas palestras, proferidas por profissionais que atuam na especialidade em todo o país. Além de temas relacionados à enfermagem e farmácia oncológica, o Simpósio trouxe na programação assuntos gerais, como: Imuno-Oncologia, Medicamentos de Suporte, Cuidados Paliativos, Gestão, Psicologia, Auditoria de Contas, entre outros. Segundo o coordenador do evento, o oncologista Sebastião Cabral Filho, “a programação foi elaborada para atender toda a equipe multidisciplinar que atua na especialidade e também para dar uma ampla visão da oncologia aos profissionais”.

TRABALHOS CIENTÍFICOS

Todos os anos, o Simpósio Mineiro abre espaço para divulgar a produção científica na área. Trabalhos científicos desenvolvidos por profissionais e alunos de instituições de saúde e de educação têm a chance de serem apresentados no evento sob forma de pôster e também para a Comissão de Avaliação de Trabalhos. Além disso, o resumo dos trabalhos ganhou um espaço especial nos anais do evento, possibilitando uma ampla divulgação. “É uma forma de incentivar e valorizar quem está desenvolvendo pesquisas na especialidade, pois são elas que colaboram para o avanço da oncologia” – ressalta Aleida Nazareth Soares, integrante da Comissão de Avaliação de Trabalhos. Para Amanda Damasceno de Souza, que também faz parte da Comissão, a presença de uma sessão de pôsteres em eventos científicos é muito relevante, pois “possibilita o autor a divulgar, comunicar sua produção científica, ter sua pesquisa avaliada, além de ser, muitas vezes, o ponto de partida para a elaboração de artigos científicos e aprofundar mais o trabalho” – ressalta.

Os três melhores trabalhos apresentados foram premiados na cerimônia de encerramento. Os ganhadores foram:
1º lugar: ‘Importância do Uso de Dispositivo Digital Portátil para Segurança e Rastreabilidade dos Medicamentos Antineoplásicos Durante sua Administração’, trabalho realizado por profissionais da Unidade de Oncologia do Hospital Márcio Cunha/Fundação São Francisco Xavier. (Autores: Rodrigues, D.F; Ribeiro, K.C.P; de Souza, P,F; de Souza Viana, L)
2º lugar: ‘Perfil de Interações Medicamentosas Potenciais na Farmacoterapia de Idosos em Tratamento Antineoplásico, trabalho realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais’, dos autores: Taisa Roberta Lopes Machado; Cristiane Moreira Reis; Andressa Gouvêa dos Santos; Paula de Jesus Souza; Adriano Max Moreira Reis
3º lugar: Considerações sobre o Cuidar do Paciente com Dor e o Perfil Epidemiológico dos Pacientes Oncológicos Aerorremovidos, dos autores: Flávio Lopes Ferreira e Vânia Paula de Carvalho, profissionais da Unimed Aeromédica

SOBRE O SIMPÓSIO
O Simpósio Mineiro de Enfermagem e Farmácia em Oncologia é promovido pelo Ceomg e conta com a apoio da equipe do CQAI na organização. O evento surgiu com o objetivo de aprimorar o conhecimento em oncologia e integrar todos os profissionais que estão ligados à especialidade, como a enfermagem e a farmácia, e também discute temas pertinentes a outras áreas, como psicologia, nutrição, entre tantas outras que integram a equipe multidisciplinar oncológica. Possibilita a educação continuada, a democratização de experiências e a atualização dos profissionais. Neste ano, o evento teve como tema central ‘inovações e os impactos em oncologia’ e trouxe na programação científica o que há de novo na especialidade, novos medicamentos, novos protocolos de tratamento e como tudo isso impacta no dia a dia dos profissionais.